quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Massagem tântrica


- Não goza! Não goza!
- …
- Droga, perdi mais um paciente.
- Eu morri?
- Pedi pra não gozar, cara. Olha aí – consulta o relógio – nem três minutos de sessão.
- Desculpa, você foi muito… eficiente.
- Tá louco? Sabe onde você tá? Massagem tântrica é pra reter energia. Não pra… aff, sujou até o teto.
- Você me estimulou, ué. Queria o quê?
- Estimulei? Mano, eu toquei suas têmporas e seu joelho. Quantas zonas
erógenas você tem, afinal?

O rapaz senta na maca, ainda com aspecto relaxado, tentando recuperar a lucidez.

- Quanto tempo trabalha nisso? – puxa conversa.
- Sou iniciante. Terminei meu curso há dois meses.
- Logo vi.
- Era pra durar uma hora, mas você… sei lá, você é bem apressado
também, né?
- Eu? – indigna-se, obscurecendo o jeitão relaxado – moça, eu sou rápido
mesmo. Muito rápido! E é por isso que eu vim aqui.
- Ejaculação precoce?
- É.
- Eu tinha que colocar uma placa lá na porta, proibindo ejaculador precoce de entrar.
- Mas eu vim pra me tratar. 
- Olha, pode pagar só metade, tá?
- Minha namorada ainda tá na sessão aí ao lado.
- Daqui uma horinha ela sai.
- Você é bem arrogante pra quem faz um serviço tão porco.
- Porco é você. Melou até a ficha de inscrição.
- Tem nojinho? Tá no ramo errado.
- Amigo, isso aqui é uma filosofia, um método milenar, e não putaria.
- Sei, mas você andou fugindo das aulas, né?! Foi curso online?
- Foi no SENAC.
- Talvez precise de uma pós.
- Ganho 500 paus por sessão. Tô nem aí pra insinuações.
- Mas comigo você não fez valer.
- Eu tenho uma técnica mais extrema de cura pra essas horas.
- O que você vai…?

A massagista começa a arrancar do rosto uma fina película de borracha, que dava forma aos seu finos traços. Por baixo da máscara surge uma face tão conhecida quanto inusitada.

- Você é o… não pode ser.
- Achei que não fosse me reconhecer. Não notou nem minha voz?
- Olha, se você é mesmo o Gugu Liberato, devo te dizer que sua voz
não é das mais masculinas.
- E como se sente sabendo que o Gugu, o apresentador que você via no Viva a Noite quando criança, te levou ao orgasmo?

A indagação faz o rapaz estremecer.

- Aqui na clínica usamos todos os métodos, inclusive o trauma psicológico. Pode acreditar, daqui pra frente, nada de ejaculação precoce na sua vida. Aliás, nada de ejaculação de nenhum tipo – solta sua gargalhada característica de Gugu, iniciando a dança do passarinho.

Bailarinas e um homem fantasiado de pênis amarelo entram no consultório e colocam-se a dançar, atordoando ainda mais o rapaz.

- Mas que porra é essa? Tem alguma câmera filmando isso? – inquieta-se.

Gugu e seus dançarinos continuam a performance, cantando Meu Pintinho Amarelinho sem se abalarem, enquanto o rapaz foge, gritando pela namorada pelos corredores da clínica:

- Vânia! Vânia, cadê você?

Ele soca a porta do consultório onde a mulher é massageada. Nada acontece, até que alguém toca em seu ombro, fazendo-lhe despertar.

- Amor, acorda!
- Vamo embora daqui!
- Embora de onde, Vitor? Cê tá na sua cama, foi só um sonho ruim.
- Horroroso!
- De novo com o Gugu?
- Por que esse maldito tomou conta do meu subconsciente?!
- Vai saber - diverte-se Vânia -  Pelo menos ele tem te dado uns toques, não?
- Tenho até vergonha de contar isso na análise.
- Uhm… e qual foi a mensagem edificante dessa vez?
- Ele…
- Diga.
- Vamos tocar aquele tratamento, o da ejaculação – constrange-se.
- Santo Gugu! – comemora Vânia – Vou mandar flores para a… qual é
mesmo o canal dele?
- Eu mereço.